As 6 Principais Vantagens e Desvantagens da Energia Hídrica

Energia-Hídrica

Atualmente, uma grande parte da energia elétrica consumida em Portugal e no mundo tem origem hídrica. Apesar de esta energia renovável ter muitos benefícios que vale a pena conhecer, existem também alguns aspetos negativos que também têm de ser considerados.

Conheça então as 6 principais vantagens e desvantagens da Energia Hídrica.

 

Barragem-de-água

Vantagens

  1. É uma fonte de energia renovável, portanto, não se esgota. As centrais hidroelétricas são consideradas como meios pelos quais é possível alcançar-se o desenvolvimento sustentável.
  2. Não ocorre emissão de gases poluentes significativos no processo de geração de energia, sendo benéfico para o ambiente. É dos processos mais eficientes e menos poluidores. Muitos dos efeitos são reversíveis, e a natureza, com a contribuição humana, acaba por encontrar novos equilíbrios.
  3. A água armazenadanos reservatórios podeser usada para irrigação de plantações nas proximidades, durante todo o ano. Além disso, as centrais hidroelétricas temporariamente libertam água de volta aos rios, mas não poluída.
  4. O seu custo de produção é baixo, pois as centrais hidroelétricas atuais são automatizadas.Como não há uso de combustíveis fósseis (gasolina, diesel) ou gás, os preços da energia elétrica gerada para o consumidor final não sofrem grandes alterações, pois não há influência de aumentos de preços destes combustíveis fósseis.Estaé considerada como uma fonte energética de baixo custo, a matéria prima é praticamente gratuita.
  5. Promove o desenvolvimento local, devido ao estabelecimento de vias fluviais, construção de vias de comunicação, estimulaa criação de atividades de lazer e de turismo, áreas para pescas e desportos náuticos. Assim, pode melhorar a vida das comunidades no local.
  6. O reservatório tem um elevado potencial e rendimento, podendo ser considerado como energia armazenada, e um elevado tempo de vida, caso as condições meteorológicas assim o permitirem. A sua fiabilidade e a resposta às variações de procura são elevadas.

 

água-de-flor-rápida

Desvantagens

  1. A construção de barragens de grande dimensão pode resultar em alguns impactos negativos no meio ambiente e no ecossistema fluvial. Estes problemas devem-se ao alagamento de extensas áreas, causando a morte de plantas e animais. São destruídas planícies muito ricas e produtivas a nível agrícola e biológico, florestas fluviais, pradarias e pântanos. Os ecossistemas mais prejudicados são os aquáticos, a montante e a jusante das barragens. Estão a ser investigados e implementados novos modelos de turbinas e centrais elétricas que não prejudiquem tanto a vida aquática.
  2. As construções hidroelétricas também danificam o ambiente a jusante do rio. A saída de água de uma turbina contém um número mínimo de sedimentos que promove a erosão dos leitos do rio e das suas margens, havendo um impacto na vegetação local. Em alguns casos, o rio pode ser desviado.
  3. Também pode obrigar ao deslocamento de populações ribeirinhas. Por exemplo, o Alqueva alterou a paisagem alentejana e provocou o deslocamento e recolocação de aldeias inteiras. Podem ser perdidos locais importantes a nível cultural e histórico, assim como ligações culturais, ancestrais das pessoas aos locais que vão ser inundados.
  4. As centrais hidroelétricas têm elevados custos de construção e de desativação.
  5. A produção da energia hídrica está diretamente dependente da chuva. Quando a precipitação é mais abundante, a contribuição destas centrais para a energia elétrica atinge os 40%, mas em época de pouca chuva, pode ocorrer a diminuição da geração de energia elétrica. Por exemplo, nos anos mais secos, apenas 20% da energia total consumida provém dos recursos hídricos.
  6. A construção de barragens em zonas tropicais pode levar à libertação de metano. Isso deve-se às plantas ao se encontrarem em ambiente anaeróbico quando submersas, o que faz com que estas produzam metano, um gás bastante prejudicial ao efeito de estufa.

Saiba mais sobre a energia hídrica

Esta energia é obtida através da energia contida nos movimentos de massas de água, que pode ser em rios, lagos, através de desníveis e quedas de água. Pode ser convertida em movimentos mecânicos, por exemplo, em rotação de eixos em turbinas hidráulicas ou moinhos de água.

Em Portugal há uma grande aposta neste tipo de energia. Só no rio Tejo há mais de trinta barragens ao longo do seu percurso.

Os projetos de mini-hídricas não apresentam tantas desvantagens como os restantes, principalmente a nível do ambiente. No entanto, a produçãoelétrica pode variar com as estações e a mudança no caudal dos rios e o custo da eletricidade é superior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *